terça-feira, 27 de março de 2012

A sociologia e a revolução científica

A sociologia é a parte da ciências humanas que estuda a sociedade. O seu nascimento é fruto de diversos fatos históricos que, juntos, causaram uma grande mudança de mentalidade da população, que antes era totalmente focada aos assuntos divinos e, portanto, tinha um senso critico menos elevado. Um desses fatos foi a Revolução Científica que começou no século XVI e prolongou-se ate o século XVII. Até a Idade Média, o conhecimento humano estava muito atrelado ao modo de concepção da vida que a religiosidade propagava. Nessa época a Igreja Católica ditava os conhecimentos de acordo com os preceitos religiosos. A ciência, por sua vez, estava muito atrelada à Filosofia e possuía suas restrições. Devido a movimentos como o Renascimento, a Reforma Religiosa e o Hermetismo, a ciência separa-se da Filosofia e passa a ser mais estruturada e prática.
Junto do Renascimento vem o humanismo, filosofia moral que coloca os humanos como principais numa escala de importância. Esta corrente de pensamento exigia do homem um senso crítico mais elevado e uma maior atenção às necessidades humanas, ao contrário do teocentrismo, que exigia uma maior atenção a Deus.
A reforma religiosa participou de modo decisivo do desencadeamento da revolução científica. Os reformistas pregavam que uma forma de se admirar a existência de Deus era através das descobertas na ciência e por isto foram incentivadas, proporcionando um impulso no desenvolvimento da revolução científica.
O hermetismo foi de grande importância na revolução científica e selando-a definitivamente, representava um conjunto de ideias que exaltavam a concepção do universo, apoiando e encorajando o uso da matemática para relacionar grandezas e demonstrar verdades essenciais. Com isso, a matemática ganhou espaço e se desenvolveu com grande relevância para o desenvolvimento de um método científico mais rigoroso e crítico, mudando a forma de fazer ciência.
Com a referida revolução, a ciência mudou sua forma e sua função, passando a ser repensada nos moldes na nova sociedade que estava emergindo nesta época. Os objetivos do homem da ciência e da própria ciência acabaram sendo redirecionados para uma era livre das influências místicas da idade média. 
- Bruna (6), Camila (8), Lara (14), Natália Farah (21)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário